Blog Santo Antônio
Notícias

O brasileiro pagou R$ 600 bilhões em impostos do início do ano até este sábado (16), segundo o "Impostômetro", da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). No ano passado, esse mesmo montante foi alcançado um dia depois, em 17 de abril.

Com essa quantia destinada aos cofres públicos pelos brasileiros, seria possível construir mais de 17 milhões de casas populares de 40 metros quadrados cada, de acordo com a ACSP. Também daria para criar mais de 2 milhões de postos de saúde equipados.

Os R$ 600 bilhões pagos até agora também seriam suficientes para adquirir  mais de 7.525.568 ambulâncias equipadas e comprar mais de 22.437.342 carros populares.

Segundo a ACSP, seria possível, ainda, construir mais de 6.584.872 km de redes de esgoto e adquirir 550.734.761 geladeiras simples.

Recorde em 2015
No dia 30 de dezembro de 2015, foi alcançada pela primeira vez em um ano a marca inédita de R$ 2 trilhões que foram pagos pelos brasileiros em impostos.

O Impostômetro completou uma década no ano passado. O painel eletrônico que calcula a arrecadação em tempo real está instalado na sede da associação, na Rua Boa Vista, região central da capital paulista. Outros municípios instalaram seus próprios painéis, como Florianópolis, Guarulhos, Manaus, Rio de Janeiro e Brasília.

O objetivo da ferramenta é conscientizar o cidadão sobre a alta carga tributária e incentivá-lo a cobrar os governos por serviços públicos de qualidade.

Pelo portal www.impostometro.com.br, é possível descobrir o que dá para os governos fazerem com todo o dinheiro arrecadado. Por exemplo, quantas cestas básicas é possível fornecer, quantos postos de saúde podem ser construídos. No portal também é possível levantar os valores que as populações de cada estado e município brasileiro pagaram em tributos.

Fonte: g1

O terremoto de magnitude 7,3 que sacudiu o sudoeste do Japão na madrugada deste sábado (15) deixou pelo menos 25 mortos e mil feridos, em uma região onde um dia antes outro potente tremor matou nove pessoas.

O último terremoto ocorreu à 1h25 (horário local, 13h25 da sexta-feira, 15, em Brasília) na cidade de Kumamoto, no litoral ocidental da ilha de Kyushu, e seu hipocentro foi localizado a cerca de 10 km de profundidade.

Na cidade de Aso o tremor atingiu o nível seis na escala japonesa (que tem no máximo sete), que se centra mais nas áreas afetadas que na intensidade do tremor.

Treze pessoas morreram por enquanto como consequência do último terremoto e mais de 1.000 estão recebendo tratamento médico por causa de ferimentos, informou a rede de televisão japonesa "NHK".

O tremor causou em Aso o desmoronamento de mais de 50 casas onde ficaram presos alguns de seus moradores, disse o porta-voz do governo, Yoshihide Suga, após uma reunião de emergência.

A agência "Kyodo" afirmou que 11 pessoas estão presas em vários lugares como consequência dos deslizamentos de terra.

Mais de 27 mil pessoas foram retiradas de suas casas e os cortes de energia elétrica e gás afetaram cerca de 180 mil lares em toda a cidade de Kumamoto, onde também foram cancelados os voos e viagens de trens bala.

Alerta de tsunami
A Agência Meteorológica do Japão (JMA, na sigla em inglês) descartou o alerta de tsunami por causa do terremoto, enquanto a empresa que opera a usina nuclear de Sendai, que fica a cerca de 120 km ao sul do epicentro e que é a única atualmente operacional no país, informou que ela continua funcionando sem problemas.

Desde o momento do terremoto até as 8h (20h da sexta em Brasília) aconteceram 25 réplicas, segundo a JMA, que alertou sobre a possibilidade de que aconteçam novos tremores, inclusive alguns de elevada intensidade.

Uma das réplicas atingiu magnitude 5,4, segundo a imprensa local.

Um primeiro terremoto ocorrido na quinta (14) causou, além dos nove mortos, 1.126 feridos em 13 municípios e 44.400 pessoas foram evacuadas, das quais 16 mil procedentes de 18 localidades ainda permanecem fora de suas casas, segundo os dados mais recentes divulgados pelas autoridades japonesas.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, cancelou a viagem que tinha previsto para a região castigada pelo terremoto para visitar alguns dos afetados.

Fonte: g1

A soma de todos os bens e serviços produzidos no Brasil – o PIB -  acumulou, em fevereiro uma queda de 4,1%. Segundo o Terra, é a 14ª taxa negativa. As informações são do Monitor do PIB, divulgado nesta sexta-feira (15) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O PIB teve, em fevereiro, recuo de 1,79% na comparação com janeiro deste ano e de 3,7% na comparação com fevereiro do ano passado.

O PIB também acumulou perda de 1,1% no trimestre encerrado em fevereiro, em comparação com o trimestre encerrado em novembro de 2015, informou a FGV. Na taxa acumulada em 12 meses, sete das 12 atividades produtivas pesquisadas tiveram queda, com destaque para a indústria de transformação (-10%), comércio (-9,3%) e construção (-7,1%). Cinco atividades tiveram alta neste período: agropecuária (1,2%), indústria extrativa mineral (1,7%), eletricidade (0,3%), intermediação financeira (0,2%) e serviços imobiliários (0,4%).

Fonte: APPA

O banco BMG liderou, pelo terceiro mês seguido, o ranking de reclamações de clientes contra instituições financeiras, informou nesta sexta-feira (15) o Banco Central (BC). Em março, o BMG registrou índice de 61,93, bem distante do Itaú (11,16), que ficou em segundo lugar, e da Caixa Econômica Federal (9,56), na terceira posição.

Para fazer o ranking, as reclamações são divididas pelo número de clientes da instituição financeira que originou a demanda e multiplicadas por um milhão. Assim, é gerado o índice, que representa o número de reclamações de cada banco para cada grupo de um milhão de clientes. Pelos dados do BC, o BMG tem mais de 2,3 milhões de clientes, o Itaú, cerca de 60 milhões, e a Caixa, acima de 78,9 milhões.

Em março, o número de reclamações consideradas procedentes pelo BC contra o BMG ficou em 148. No caso do Itaú, 673, e da Caixa, 755. No total, o BC recebeu em março 3.289 reclamações procedentes. A principal reclamação envolve a oferta ou prestação de informação a respeito de produtos e serviços de forma inadequada. Em seguida, ficaram as queixas relacionadas a irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços relacionados a cartões de crédito. Em terceiro lugar, outras irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços.

Em nota, a Caixa disse que revisa permanentemente seus serviços, produtos e atendimento, para garantir a satisfação de seus clientes. "A redução de reclamações, assim como o aumento da solução em todos os canais, internos e externos, são prioridades do banco”, diz a nota que acrescenta que as manifestações dos clientes são subsídios para a melhorar e modernizar todos os processos do banco. Procurados, BMG e Itaú ainda não se posicionaram sobre o ranking.

Fonte: BC

Manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra iniciaram o bloqueio da BR-324, sentido Salvador, na manhã deste sábado (16). De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o ato foi iniciado por volta das 8h da manhã, com interdição na altura do Km-603. A liberação total das vias deve acontecer às 11h. De acordo com a PRF, quem precisar seguir para a capital baiana pela estrada pode pegar um desvio pelo viaduto de Candeias, com destino ao Polo Petroquímico e Via Parafuso. A PRF não tem dimensão do congestionamento causado pelo ato.

Fonte: Bahia Notícias
A juíza Solange Salgado, da 1ª Vara Federal de Brasília, concedeu liminar nesta sexta-feira para impedir a convocação de cadeia nacional de rádio e televisão para o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff. A liminar foi pedida pelo deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA), alegando que o discurso teria cunho meramente político, diante da proximidade da votação do processo de impeachment no plenário da Câmara. A magistrada concordou. Antes mesmo da decisão, a presidente já tinha anunciado publicamente a desistência do pronunciamento.
 
Segundo a juíza, a legislação permite a convocação de cadeia de rádio e televisão quando o assunto a ser tratado for institucional. No caso específico, a presidente utilizaria o mecanismo para pedir apoio contra o impeachment de seu mandato e se defender das acusações da oposição. “A referida convocação de cadeia nacional implica evidente desvio de finalidade, o que se extrai da ‘mens legis’ e da ‘mens legislatoris’ do dispositivo sobredito, qual seja, a veiculação de assuntos de relevante importância e desde que institucionais”, escreveu.
 
A magistrada informou que o discurso da presidente seria uma afronta ao princípio constitucional da impessoalidade e da moralidade, expressos na Constituição Federal. “In casu, permite-se inferir, a partir do teor/conteúdo do pronunciamento, que se trata de discurso eminentemente político e pessoal para um espaço destinado aos assuntos institucionais, o que viola o disposto no art. 37 da Constituição da República”, concluiu.
 
Dilma cancela pronunciamento
 
Na manhã desta sexta, Dilma se reuniu com os ministros mais próximos, entre eles Edinho Silva (Comunicação), para decidir o teor das palavras que dirigiria à nação em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV. Até então, o entendimento era de que valia a pena enfrentar o desgaste dos panelaços para fazer um último apelo para os deputados.
 
Porém, o pronunciamento em cadeia de rádio e TV foi cancelado. A decisão foi tomada depois que o partido Solidariedade entrou com uma ação na Justiça Federal para impedir a veiculação da fala de Dilma. O Planalto resolveu adotar a cautela e quer aguardar os desdobramentos dessa ação para então decidir o destino do pronunciamento. A avaliação dentro do governo é que se a Justiça Federal barrasse o pronunciamento, geraria mais um fato negativo para Dilma, tudo o que o governo não quer neste momento.
 
"A decisão de veicular a mensagem por meio de cadeia de rádio e TV havia sido tomada pela Secom. Após avaliação sobre a estratégia mais adequada para o momento, decidimos que o vídeo da presidente alcançaria seus objetivos se amplamente veiculado pela internet", explicou a assessoria da presidente Dilma.
 
O pronunciamento deve ser publicado nas redes sociais.
Fonte: BC News

Uma fiscalização deflagrada por diversos órgãos flagrou cerca de 100 crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil nesta sexta-feira (15) na Ceasa do Centro Industrial de Aratu (CIA), em Salvador. A operação integrada foi composta por membros do Ministério Público da Bahia (MP-BA), Ministério Público do Trabalho, Ministério do Trabalho Emprego e Renda, Secretaria Estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esportes (Setre), Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), Conselho Tutelar e Polícia Militar. A operação flagrou crianças e adolescentes trabalhando em galpões da Ceasa, em tarefas como descarregar mercadorias de caminhões.

De acordo com a promotora de Justiça, Andréa Ariadna Santos Correia, a realidade é conhecida por todos do local, e que não há fiscalização para coibir os abusos. Ela ainda afirmou que até “casos de exploração sexual no local foram relatados”. Já procuradora regional do Trabalho, Virginia Senna, afirmou que o que foi visto no local foi “uma aberta e irrestrita utilização de mão de obra de adolescentes em atividades que trazem risco à sua saúde ainda muitos casos de jovens com menos de 16 anos que em hipótese alguma poderiam estar trabalhando”. Virginia Senna, que é coordenadora regional de combate ao trabalho infantil do MPT-BA.A operação faz parte de um plano de ações na região para combater o trabalho infanto-juvenil por oferecer risco aos menores de idade.

A fiscalização visa apontar diretrizes para elaborar políticas públicas emergenciais a serem adotadas para garantir que as crianças e adolescentes que trabalham no local tenham os direitos assegurados no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Os órgãos que participaram da operação compõem o Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil (Fetipa). As crianças e adolescentes abordados nesta sexta foram cadastrados e seus dados foram passados para a Coordenação do Trabalho Infantil da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), que irá analisar e compilar os dados para compartilhar com os órgãos do Sistema de Garantias, a fim de que sejam adotadas as providências necessárias. 

Fonte: Bahia Notícias

Representantes de movimentos sociais, estudantes, centrais sindicais e pessoas não vinculadas a entidades realizaram um ato de apoio ao governo da presidente Dilma Rousseff e contra o impeachment na tarde desta sexta-feira (15), em Salvador. Conforme os organizadores, cerca de 30 mil pessoas caminharam da Praça Dois de Julho, no bairro do Campo Grande, até a Praça Castro Alves, no Centro Histórico. Já para a PM, o número chegou a 20 mil.

A concentração para o ato começou por volta das 15h e a caminhada rumo à Praça Castro Alves foi iniciada às 16h. Por volta das 19h, foi encerrada a mobilização.

Lideranças fizeram discursos a favor da democracia com apoio de um trio elétrico. "O MST está aqui para dizer que nós vamos lutar até as últimas consequências, mas o golpe nunca mais irá se instalar nesse país", defendeu o diretor do MST, Evanildo Costa.

Representando a Arquidiciose de Salvador, o padre José Carlos afirma que a carta recente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgada contra o impeachment de Dilma Rousseff mostra que "a Igreja Católica não quer repetir o erro do golpe de 64". "O direito conquistado não pode ser violado", afirma.

O presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, afirma que a mobilização desta sexta-feira foi um aquecimento para "a vigília conta o golpe" marcada para o domingo (17), no Farol da Barra.

"O espírito hoje é de aquecer. Estamos aqui para dizer que não vai ter golpe e defender a estabilidade econômica, diz".

"Vim para defender a presidente da República. O que está acontecendo hoje não é muito diferente do aconteceu naquela época, no golpe de 64", afirmou Edite Vitória, 77 anos, entre os manifestantes.

Fonte: g1

Fonte: Grupo Santo Antonio

Fonte: Grupo Santo Antonio

Fonte: Grupo Santo Antonio

Fonte: Publicidade

Fonte: Publicidade

Acontece amanhã, 16, o dia “D” da campanha de vacinação antirrábica animal em toda a zona urbana de Luís Eduardo Magalhães, das 8h às 17h. A Secretaria Municipal de Saúde disponibilizará ao todo, dezessete pontos de vacinação. Devem ser imunizados cães e gatos sadios a partir de 3 meses de idade. Fêmeas que estejam próximas do término do seu período gestacional não devem ser vacinadas. 

Pontos de vacinação – Estacionamento em frente à Prefeitura; Estádio Municipal Coronel Aroldo; ESFs Luís Yoshio Shirabe, Luís Gustavo da Rosa, Nair Idite Poganski, Vereda Tropical e Jardim das Oliveiras; Escolas Municipais Vânia Aparecida Santos Ribeiro, Ottomar Schwengber, Amabílio Vieira dos Santos, Amélio Gatto, Onero Costa da Rosa, Cezer Pelissari, Hermínio Carlos Brandão e Jardim Paraíso; Lanchonete e Sorveteria Jardim Alvorada e Ong Vida Bixo.

A Secretaria Municipal de Saúde reforça o alerta aos moradores que a condução dos animais até os pontos de vacinação deve ser realizada por uma pessoa maior idade e que o mesmo deve estar presente durante o procedimento de vacinação. Após o dia “D”, a vacinação continua acontecendo até o dia 29 de abril no Núcleo de Endemias e na Ong Vida Bixo em horário comercial.

Sobre a doença - A raiva é uma infecção aguda do sistema nervoso central à qual são suscetíveis todo animal de sangue quente e o homem. O vírus, frequentemente presente na saliva do hospedeiro infectada é usualmente transmitido por mordidas, lambidas e, às vezes, por via respiratória. A doença é caracterizada por uma profunda disfunção do sistema nervoso central e não tem tratamento.

Fonte: ASCOM, Prefeitura de LEM

Após pisar em terreno desconhecido com a Toro, a Fiat volta suas atenções para o segmento que fez sua fama mundo afora, o dos compactos. E a bola da vez é o Mobi, projeto brasileiro feito a partir da base do Uno, mas com comprimento e entreeixos encurtado, para valorizar a agilidade no trânsito urbano. Tanto que o mote da propaganda do modelo será "um carro com o meu número", querendo dizer que as pessoas não precisam mais do que um Mobi para o dia-a-dia na cidade. O preço inicial também foi uma surpresa: R$ 31.900.

Após tantos flagras, o design do carrinho não é mais novidade. Mas, acredite, ele é bem mais interessante ao vivo que nas fotos. A ideia da Fiat parece ter sido tentar tirar a aparência "lúdica" que tem o VW up!, que será o principal rival. Para isso, o Mobi tem uma dianteira mais comprida e imponente, dá a ideia de que o hatch é maior do que realmente mostra a fita métrica. E ele é pequeno: 23 cm a menos que o Uno. Na traseira, o charme fica por conta da tampa traseira totalmente de vidro, solução do up! europeu que a VW preferiu não bancar por aqui. Por dentro, a Fiat teve o cuidado de não deixar nada da lateria aparente, além de caprichar na qualidade e textura dos plásticos.

O espaço é praticamente o mesmo do Uno na dianteira - o para-brisa e as colunas "A" são as mesmas. Os bancos acomodam bem o corpo e têm o apoio de cabeça integrado ao encosto, como era o Uno antes. As formas do painel também lembram as do Uno com saídas de ar circulares nas pontas, sistema de som elevado no centro e os comandos da ventilação com botões circulares. Atrás, o espaço é justo, mas não tento quanto parece por fora: dá para dois adultos se acomodarem, desde que não tenham pernas compridas. É bem semelhante ao up! neste aspecto, com bom aproveitamento da altura da carroceria para entregar espaço vertical. Já no porta-malas não teve jeito: apenas 235 litros. Boa sacada é uma espécie de cesta (14 litros) com divisórias para levar pequenos objetos (como compras de mercado), que pode ser retirada para usar o compartimento em sua totalidade.

Em termos mecânicos o Mobi não traz nada de novo: usa o conhecido motor Fire 1.0 4-cilindros de 75 cv e 9,9 kgfm de torque acoplado ao câmbio manual de cinco marchas - este, porém, com relações específicas. Por ser cerca de 60 kg mais leve que o Uno, o Mobi promete melhor desempenho e consumo que o irmão. Também ouvimos da engenharia que ele é um pouco mais firme que o Uno nas curvas, o que descobriremos nesta quinta-feira (14) durante o test-drive.

Fonte: msn

Comece o dia comendo banana para emagrecer! Surpresa? Nós também ficamos, e, por isso, fomos investigar a Dieta da Banana Matinal que está circulando na internet com a promessa de secar a cintura sem sacrifício. No Japão, onde foi criada por Hitoshi Watanabe, especialista em medicina preventiva, virou mania. Desde que a notícia repercutiu nos Estados Unidos, vem reunindo um grande número de adeptos, especialmente em Nova York. 


Mas, não engorda?

Em excesso, a fruta pode pesar na balança. Ainda assim, a dieta não impõe limite: a candidata a perder peso pode comer quantas unidades quiser no café-da-manhã. Mas é difícil exagerar. Isso porque a fruta sacia rapidinho. Além disso, deve ser acompanhada de goles de água morna. É estranho, mas funciona. Em contato com a água, as fibras solúveis da banana formam uma espécie de gel que preenche o estômago, espantando a fome por um bom tempo. Lucyanna Kalluf, nutricionista do Instituto Alpha de Saúde Integral, em São Paulo, acrescenta outros dois poderes da fruta contra os quilinhos extras: estimula o funcionamento do intestino e combate a ansiedade e o mau humor. “É um alimento que combina doses importantes de vitamina B6 e triptofano – substâncias que, juntas, aumentam a produção de serotonina, o neurotransmissor do bem-estar”, diz a nutricionista, autora do livro Fitoterapia Funcional (VP Editora). E, feliz, a gente resiste melhor aos doces. Você malha? Mais um motivo para apostar na banana. Lotada de potássio, melhora o poder de contração dos músculos, aumentando sua performance e, de quebra, a queima de calorias.


Dispense o que é ruim

Nem tudo é perfeito na dieta que veio do Oriente. A versão original permite você comer o que e quanto quiser no almoço e no jantar. Não dá! “Isso pode resultar num exagero de calorias, anulando qualquer esforço para emagrecer”, alerta Andréia Naves, diretora da VP Consultoria Nutricional, em São Paulo.

Aproveite o lado bom

Cortar bebida alcoólica, evitar refeições pesadas após às 8 da noite e ir para cama antes da meia-noite, no entanto, são sugestões muito bem-vindas. Então, aproveite o que é bom e dispense o que ruim. Nem pensar em começar o dia comendo banana e bebendo água morna? A gente deu um jeitinho nisso: você vai beber chá (ou outra bebida quentinha). O cardápio também está mais gostoso. Tem banana e outras comidinhas que potencializam o resultado da dieta – você vai perder 3 quilos em dez dias!

O poder da banana verde

 
Quanto mais firme, maior é o poder da banana reduzir os excessos na cintura. Os nutricionistas funcionais vão mais longe: recomendam a fruta verde. Mas, nesse caso, deve ser consumida na forma de purê (ou biomassa), quando ainda carrega o amido resistente. Difícil de ser digerido, faz com que os outros alimentos sejam absorvidos mais devagar, mantendo a fome sob controle. Segundo estudo do Laboratório de Química, Bioquímica e Biologia Molecular da Faculdade de Ciências da USP, antes de amadurecer, a banana ainda tem efeito prebiótico. “O amido resistente chega intacto ao intestino. Ali, fermenta e produz substâncias que alimentam as bactérias do bem – aquelas que formam uma barreira contra as bactérias intrusas”, explica Ana Vládia Moreira, professora do Departamento de Nutrição da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Com isso, o intestino acumula menos toxinas e absorve melhor o trio antiobesidade – cálcio, magnésio e zinco – presente nos alimentos. “São minerais que regulam o sistema endócrino, mantendo o metabolismo em dia”, diz Lucyanna Kalluf. Conclusão: você emagrece mais fácil. Por isso, tem a opção de incluir a biomassa na dieta.

Fonte: msn

 A EXPOLEM 2016, é a oportunidade certa para você trocar o seu guarda-roupa, compra sapatos novos, trocar o seu óculos, ver novidades de todo o comércio e tudo isso com um preço super especial.

>> SETOR LOJISTAS <<

 

>> VÍDEO TOUR VIRTUAL <<

 

 

>> CURTA O EVENTO NO FACEBOOK <<

 

Fonte: Live Produções


Lavagem de rede em Barreiras

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) iniciou na última semana a operação da rede de esgoto dos bairros: Antônio Geraldo, Loteamento São Paulo, Morada da Lua, Renato Gonçalves, Recanto dos Pássaros e Vila Regina, em Barreiras. Os imóveis destes bairros com a caixa de inspeção instalada na calçada serão visitados pela área social da empresa e deverão ser notificados a se interligar no prazo de 90 dias. A sede municipal de Barreiras passa a contabilizar, a partir de agora, 31 bairros atendidos [veja lista abaixo] com o serviço de esgotamento sanitário.

Segundo o gerente regional da Embasa, Francisco Araújo Andrade, iniciar a operação da rede já instalada nestes bairros era uma prioridade para a empresa. “Sanada a fase de eletrificação da estação elevatória e dos testes na vistoria na rede assentada, agora passamos para a fase de mobilização e notificação para que os imóveis se liguem à rede”, afirma.  


Caixa de inspeção já instalada para a ligação dos moradores

De acordo com a lei estadual nº 7.307/98 e decreto estadual nº 7.765/00, o proprietário ou morador é obrigado a fazer a ligação do seu imóvel à rede coletora de esgoto a partir do momento em que está disponível. Os moradores/proprietários também são orientados a escoar as águas das chuvas dos quintais das casas e deve ir para um sistema próprio de drenagem, caso exista, ou diretamente para a via pública. Aqueles moradores que se interligaram e já são beneficiados, passarão a remunerar pelo serviço, cuja tarifa é 80% do valor do consumo de água.

Com o funcionamento da rede no Antônio Geraldo, Loteamento São Paulo, Morada da Lua, Recanto dos Pássaros, Renato Gonçalves e Vila Regina, a Embasa avança na operação da obra de ampliação do sistema de esgotamento sanitário de Barreiras. O empreendimento contou com investimento total de R$ 109 milhões, sendo R$ 78 milhões, com recursos na modalidade de empréstimo pelo FGTS/Caixa Econômica Federal, e R$ 31 milhões com recursos próprios. “Ao finalizar a operação de toda a obra, cerca de 70% da sede municipal de Barreias contará com sistema de esgoto”, afirma.


O esgoto será levado para tratamento na nova estação de tratamento

Cobertura / Lista dos 31 bairros onde a rede de esgoto está em operação e os moradores podem ligar os seus imóveis: 29 de Julho, Antônio Geraldo, Arboreto I e II, Bandeirante, Barreiras I, Bela Vista, Cascalheira, Centro (Histórico e Comercial), Jardim Ouro Branco, Flamengo, Loteamento São Paulo, Morada da Lua, Novo Horizonte, Recanto dos Pássaros, Renato Gonçalves, Ribeirão, Rio Grande, São Pedro, Sandra Regina, Santa Luzia, São Francisco, São Paulo, São Sebastião, Santo Antônio, Serra do Mimo, Vila Brasil, Vila Dulce, Vila Rica, Vila Regina, Vila dos Funcionários e Vila Amorim.

Fonte: Ascom Embasa
15
Abr / 2016

Pegadinha:)

Fonte: YouTube

Com o agravamento da crise política, áudios que circulam no WhatsApp afirmam que a presidente Dilma Rousseff irá, no dia 15, sequestrar o dinheiro dos brasileiros nas poupanças. De acordo com a Exame, tal feito não acontecerá. Especialistas argumentam que a Emenda Constitucional nº32/2001, que modificou o artigo 62 da Constituição Federal, não permitirá a ação da presidente.  Ela afirma que é vedada a edição de medida provisória “que vise a detenção ou sequestro de bens, de poupança popular ou qualquer outro ativo financeiro”. “No governo Collor, havia tolerância por parte do Supremo Tribunal Federal (STF), a Constituição tinha acabado de entrar em vigor e o Brasil vivia um período de hiperinflação.

Hoje as instituições avançaram muito e, apesar das dificuldades, a economia em nada se compara com a de 1990, nós temos bilhões de reais em reservas internacionais”, diz Claudio Souza Neto, advogado e professor da Universidade Federal Fluminense (UFF). Ainda de acordo com a publicação, outros fatores pesam contra: uma medida desta envergadura demoraria meses para tramitar no Congresso e, se os bancos ficassem fechados por tanto tempo, o país poderia quebrar. Além disso, a medida poderia ser considerada "um tiro no pé".

Mesmo que não existisse uma emenda proibindo o confisco de recursos, o sequestro da poupança seria algo completamente insano do ponto de vista econômico, diz Simão Silber, professor da Faculdade de Economia e Administração (FEA) da USP e doutor em economia pela Universidade Yale. Além disso, ao realizar um confisco o governo não teria mais nenhum resquício de credibilidade. Portanto, se o objetivo fosse sequestrar os recursos para ajustar as contas, a medida seria um tiro no pé. “O efeito contábil de uma medida assim seria dramático, simplesmente não entraria mais dinheiro no Brasil e investidores fugiriam. Quem acredita que isso poderia acontecer só pode estar maluco”, diz Silber.

Fonte: bh notícias
  Curta nossa página
  PUBLICIDADE

| Todos os Direitos Reservados |