Blog Santo Antônio
Notícias
Caso aconteceu na Estrada do Café, perto de Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia. Suspeitos estavam com metralhadoras e revólveres. Ninguém ficou ferido.

Caso aconteceu na Estrada do Café, perto de Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia. Suspeitos estavam com metralhadoras e revólveres. Ninguém ficou ferido.

Seis homens foram feitos reféns no domingo (17) após homens armados com metralhadoras e revólveres invadirem uma fazenda, na Estrada do Café, próximo da cidade de Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia. Uma carga com 120 toneladas de milho foi roubada. Ninguém ficou ferido.

Segundo informações dos donos da fazenda, um dos proprietários viu dois caminhões bitrem estacionados na frente da fazenda, por volta das 18h50, mas não achou que poderiam ser assaltantes circulando na região.

Por volta das 22h, quando o fazendeiro não estava mais no local, homens encapuzados invadiram o espaço e fizeram seis funcionários reféns. As vítimas estavam no alojamento da propriedade rural.

De acordo com os donos da fazenda, os funcionários ficaram amarrados em um cômodo por duas horas. Por volta da meia-noite, o grupo armado desamarrou parte das vítimas e as obrigou a ajudar a colocar a carga nos caminhões.

Os fazendeiros informaram que os suspeitos deixaram o local por volta das 2h desta segunda-feira (18). Até a publicação desta reportagem, a polícia não encontrou os suspeitos e a carga.

Fonte: G1 BA

Um cavalo e duas éguas foram mortos após ser atingidos por tiros na noite deste domingo (17) em Feira de Santana. Segundo o Acorda Cidade, o fato ocorreu por volta das 20h na rua L do Conjunto Feira 10. Moradores contaram que homens armados chegaram ao local e atiraram contra várias pessoas.

Um dos atingidos estava montado em um dos cavalos. Ferido, ele foi levado ao Hospital Geral Clériston Andrade. Não há mais informações sobre o estado de saúde dele. Também não foi informado se outras pessoas foram atingidas pelos disparos.

Ainda segundo o site, a remoção dos corpos dos animais deve ser feita pela prefeitura. 

Fonte: Bahia Notícias

 

enxerga na Escola Cívico-Militar, um importante vínculo entre a comunidade e a instituição, aliada à qualidade de ensino

 

 

Natural de Salvador, filho de mãe pedagoga e pai engenheiro Agrônomo, o Major Cristiano Gouveia, comandante da 85° Companhia Independente  da Polícia Militar (CIPM/LEM), sabe da importância da Educação. Com 28 anos de Polícia Militar e há sete meses em Luís Eduardo Magalhães, tem encontrado formas de se integrar à comunidade local.

"É uma comunidade muito participativa. Que cobra muito, o que motiva o nosso trabalho, mas também participa. Tanto a Prefeitura, quanto a iniciativa privada", destacou o oficial.

Desde que o major Gouveia se reuniu com o secretário de Educação do município,  Carlos Lopes da Fonseca, para tratar da implantação de uma Escola Cívico-Militar no município,  a sociedade Luiseduardense quis saber mais sobre o assunto.

O Formato
Na Bahia, os municípios de Vitória da Conquista, Salvador, Itabuna, Ilhéus,  Barreiras, Feira de Santana, Juazeiro,  Teixeira de Freitas, Candeias contam com esse modelo.

"É um formato mais tradicional, mas que em nada prejudica o desenvolvimento do aprendizado do aluno", disse o major, relembrando as palavras de sua mãe,  Pedagoga.

O diferencial
Você tem um estímulo muito grande à atividade física, respeito à hierarquia com professores, coordenadores e com alunos mais antigos. Além das aulas mais tradicionais, como Música, Matemática, Química e Fisica em um alto padrão", destacou.

Para o major Gouveia, a principal importância de uma escola nesse formato para o município, é a criação do vínculo entre a Polícia Militar e a comunidade.

"A Polícia Militar e a comunidade ficam em uma proximidade, que talvez seja única. É o seu bem mais precioso, o seu filho, que você confia e coloca nas mãos da instituição, tida como algoz social, para educar e formar", disse.

E completou: "A formação em cidadania, conhecimento, o que vai possibilitar acessar a universidade, a ideia de profissões, de respeito à valores cívicos e pátrios. Isso tudo o Colégio tem. Para quem gosta, para quem sente falta disso, para quem deseja essa formação e inclusão do seu filho".

Qualidade de ensino
"Se você tiver uma escola com o melhor rendimento e a melhor formação, mas onde os pais e a comunidade não a enxergam com bons olhos, ela não é uma instituição positiva.  Quando você tem os dois, aí fica pleno. O vínculo: Polícia Militar e comunidade, aliado à qualidade de ensino", concluiu.

Fonte: ASCOM - Prefeitura de LEM


O corpo de Rivanidlo foi removido para o IML do DISEP

Na noite do último sábado, 16, por volta das 22h30, Rivanildo Lopes Feitosa, de 26 anos, foi morto pelo próprio padrasto com um tiro na face. O crime ocorreu no Povoado Rio de Pedras, no município de Barreiras. 

Segundo informações, Rivanildo estava sendo socorrido por familiares, mas no caminho o veículo teve problemas mecânicos e logo em seguida o mesmo não resistiu ao ferimento e veio a óbito. 

O padrasto teria feito consumo de bebida alcoólica quando ocorreu o crime. O caso será investigado pela polícia civil que realiza uma busca do autor que continua foragido. 

Fonte: Reportagem de Jadiel Luiz, Blog do Sigi Vilares

A pré-candidata à presidência da OAB da Bahia, Daniela Borges, lidera as intenções de voto para o comando da seccional, conforme apontado pela pesquisa BN/Dataqualy. O levantamento mostra que a vantagem de Daniela é ainda maior quando indica, como apoiadores, os nomes de Luiz Viana, vice-presidente do Conselho Federal da OAB, e Fabrício Castro, atual presidente da OAB-BA.

Nesse cenário estimulado pelo apoio de Viana e Castro, Daniela Borges ganharia as eleições com 49,6% dos votos válidos. Em segundo lugar, aparece a pré-candidata Ana Patrícia, com 23% das intenções de voto. Ainda nesse cenário, 20,8% afirmaram não saber em quem votar.

O mesmo levantamento mostrou que Daniela Borges lidera a pesquisa de intenção de voto espontânea, ou seja, sem citar os nomes dos candidatos. Nesse cenário, Daniela aparece com 20,5% das intenções de voto, contra 9% para Ana Patrícia Dantas Leão.

Já nos cenários estimulados, Daniela Borges aparece na frente em todas as situações projetadas. No primeiro, que consta ainda os nomes de Ana Patrícia, Dinailton Oliveira e Ricardo Oliveira, Daniela tem 32,5% das intenções de voto, enquanto Ana Patrícia tem 16,1%.

Já no cenário de disputa sem Ricardo Oliveira, Daniela Borges aparece com 33,7% das intenções de voto, seguida por Ana Patrícia, com 16,9%, e Dinailton Oliveira, com 6,6%.

A pesquisa foi realizada entre 4 e 7 de outubro e ouviu 409 advogados e advogadas, da capital e do interior. A margem de erro é de 4,8% percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95%.

Daniela Borges tem como vice na disputa pela OAB da Bahia a advogada Christianne Gurgel. Essa é a primeira vez que duas mulheres concorrem juntas aos dois cargos da linha de frente da instituição. Daniela pode também se tornar a primeira presidente mulher da seccional baiana em 90 anos de história. As eleições para a OAB-BA acontecem no próximo dia 24 de novembro.

Fonte: assessoria de comunicação

Fonte: Grupo Santo Antonio

Mulher é presa por manter idosos em cárcere privado e se apropriar de aposentadoria dele

Foto: Reprodução/Pixabay/BN

Uma mulher de 37 anos foi presa por manter um idoso em cárcere privado no bairro Santo Antônio Além do Carmo, em Salvador. A prisão aconteceu na quarta-feira (13) por policiais da Delegacia de Proteção ao Turista (Deltur). Após solicitação da Polícia Civil da Bahia, o Poder Judiciário converteu o flagrante em prisão preventiva.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), a informação chegou à Deltur por meio de uma denúncia anônima, que teve a procedência apurada pelos policiais antes da chegada ao local do cárcere.

As investigações apontaram que a mulher presa impedia a liberdade de ir e vir do idoso. Quando questionado, a vítima reforçou o que a polícia havia apurado e declarou que a suspeita se apropriava do valor de sua aposentadoria.

O inquérito aberto pela Deltur apura ainda se o idoso sofria ameaças, agressões e tortura psicológica. A vítima foi levada para a casa de familiares.

Fonte: Bahia Notícias

Crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade não vacinados ou com esquema incompleto, poderão regularizar a situação vacinal neste sábado (16), dia “D” de mobilização nacional da Campanha Nacional de Multivacinação.

Para iniciar ou completar o esquema vacinal, estão sendo oferecidas as seguintes vacinas: BCG, Hepatite B, Pentavalente, Pólio Inativada e Pólio Oral, Rotavírus, Pneumcócica 10-Valente, Meningocócica C, Febre Amarela, Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola), Tetra Viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela), DPT, Hepatite A, Varicela, Difteria e tétano, Meningocócica ACWY, HPV quadrivalente e DTpa.

A campanha tem como objetivo oportunizar o acesso às vacinas que fazem parte do Calendário Nacional de Vacinação da Criança e do Adolescente, atualizar a situação vacinal desse público, aumentar as coberturas vacinais e diminuir a incidência, contribuindo para o controle, eliminação e/ou erradicação das doenças imunopreveníveis nas crianças e adolescentes desta faixa etária.

A Campanha Nacional de Multivacinação segue até 29 de outubro.

A Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) destaca a importância de toda a população-alvo comparecer às unidades de saúde, levando o cartão ou caderneta de vacinação, para que os profissionais de saúde possam avaliar se há alguma vacina que ainda não foi administrada, ou se há doses que necessitam ser aplicadas, para completar o esquema vacinal.

Fonte: Bahia Notícias

O Plenário do Senado se reúne na próxima terça-feira (19), quando poderá votar o projeto de lei que prevê subsídios para a compra de botijões de gás de cozinha para famílias de baixa renda (PL 2.350/2021). O texto conta com relatório favorável e, se aprovado, seguirá para a Câmara dos Deputados.

O projeto cria o programa Gás para os Brasileiros, que poderá financiar até 100% do preço médio do botijão a cada dois meses. As famílias beneficiadas serão aquelas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com renda mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo ou que recebam o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

O autor da proposta é o senador Eduardo Braga (MDB-AM). O relator é o senador Marcelo Castro (MDB-PI), que promoveu alterações no texto com o objetivo de ampliar o valor do benefício em relação ao previsto no texto original.

Fonte: informações da Agência Câmara e Agência Senadoinformações da Agência Câmara e Agência Senado

Mais de 800 eletrônicos foram apreendidos, na nesta quinta-feira (14), durante operação do Tático Operacional da Companhia Independente de Policiamento Rodoviário (CIPRv/Brumado), o km 251 da BR 030, entre os municípios e Caetité e Brumado. Os itens irregulares estavam em dois ônibus com destino a Irecê e Luís Eduardo Magalhães.

Foram encontrados 10 celulares, 300 modems, 300 fontes elétricas, 57 carregadores, 54 cabos para diversos equipamentos, fones, carregadores, balanças, caixinhas de som, extensões elétricas, adaptadores bluetooth, calculadoras, mouses, controles remotos, suportes para televisão e baterias.

De acordo com o comandante da CIPRv, major David Robson Conceição, os itens foram achados no bagageiro de dois coletivos que vinham de São Paulo para a Bahia. Os produtos não tinham nota fiscal.

O material foi apreendido e levado à Delegacia Territorial de Caetité. Os proprietários dos itens não foram identificados.

Fonte: SSP BA

Na noite desta sexta-feira, 15, pouco depois das 18h30, uma mulher de aproximadamente 21 anos foi atropelada por um veículo enquanto atravessava a Avenida Ayrton Senna pela faixa de pedestre, entre os bairros Santa Cruz e Florais Léa, em frente ao Supermercado Santo Antônio, na cidade de LEM.

De acordo com informações, o homem conduzia uma picape Saveiro pela avenida sentido Loteamento Conquista. Quando a guarnição do ROMU (Ronda Ostensiva Municipal) da GCM chegou no local encontrou o condutor do carro com sinais de embriaguez e no veículo um litro de cerveja.

O SAMU foi acionado e ao chegar no local fez os primeiros procedimentos e em seguida socorreu a vítima para a UPA com ferimentos pelo corpo.

Agentes da SUTRANS realizaram o registro da ocorrência enquanto o condutor do carro foi encaminhado para o DISEP pelos agentes do ROMU.

Fonte: Reportagem de Weslei Santos/Blog do Sigi Vilares

Fonte: JOVEM PAN

Na tarde desta sexta-feira, 15, a moradora do povoado de Sucupira, Ana Paula da Silva de Jesus e seus sete filhos pequenos tiveram seus sonhos realizados: ter uma casa digna. Sua irmã Daiane também recebeu a sua nova casa. Uma iniciativa da Prefeitura de São Desidério por meio do Programa Municipal Casa Bela.

A entrega contou com a presença do prefeito Zé Carlos, do vice-prefeito, Zé Barbosa, da secretária de Assistência Social, Josefina Soares, e vereadores.

“Somos em nove pessoas no total, e o nosso barraco só tinha um quarto, a gente tinha que dar um jeito e colocar os meninos todos amontoados em uma cama. A nossa condição de vida era difícil, mas, agora sou uma mulher realizada, Graças a Deus e depois a prefeitura, agora estou dentro de uma casa nova com meus sete filhos. Estou muito Feliz”, disse a morada, Ana Paula da Silva de Jesus.

Emocionada com a casa nova, Daiane Silva de Jesus relata o sofrimento que vivia quando estava morando na casa de adôbe, coberta de lona“ Só tenho que agradecer primeiramente a Deus e a prefeitura, que olhou pra mim, eu estava vivendo uma vida desumana, que chegava a chorar todos os dias, a antiga casa chegou a cair, e  hoje eu recebo a minha casa nova e estou muito alegre”, disse Daiane.

Fonte: ASCOM - Prefeitura de São Desidério

Desde que assumiu o mandato, a vereadora Zezília Martins tem implementado diversas ações no campo da defesa e valorização da mulher e uma atenção especial aos bairros e povoados. O que ela não imaginou é que tais ações a colocaria entre as mulheres premiadas durante o Fórum Nacional da Mulher Parlamentar realizado em Salvador, em setembro, pela União dos Vereadores do Brasil (UVB) através da medalha “Mulher Destaque Brasil”.

Segundo a vereadora, o prêmio traz um vigor novo para o mandato e leva esperança para Luis Eduardo Magalhães: “Temos trabalhado muito para fazer um mandado diferente, comprometido com o povo, focado em levar soluções dentro das nossas bandeiras, que é a atenção a mulher e aos bairros e povoados”, completou.

Zezília Martins destacou a importância da gestão do prefeito Júnior Marabá, explicando que o resultado é fruto dessa parceria de sucesso que vem unindo compromisso e muita dedicação. Ela também reconheceu o mérito que tem a vereadora Daiana Faedo no prêmio. As duas tem atuado de forma conjunta na luta e implementação dessas ações.

A Medalha “Mulher Destaque Brasil” valoriza vereadoras que se destacam em seus mandatos, que prestam relevantes serviços. Além disso visa fortalecer o papel da mulher na política e nas esferas de decisão e de poder. O prêmio colocou LEM em destaque no cenário nacional do Legislativo Municipal.

Para saber mais sobre as ações desenvolvidas pela vereadora Zezília Martins e Daiana Faedo, acesse as redes sociais delas e fortaleça esse trabalho.

Veja as principais ações desenvolvidas pela vereadora nos primeiros meses do mandato:

Projeto de lei que institui o Programa Menstruação sem Tabu nº 38/2021
Projeto de lei que objetiva a obrigatoriedade de acessibilidade nas praças e parques públicos
Projeto de Lei que dita sobre a Criação da carteira do autista

Foram 49 indicações, e dentre elas se destaca:
Indicação para instalação de aparelho de ultrassonografia no Hospital e Maternidade Gileno de Sá;
Indicação para a construção de uma unidade de coleta do HEMOBA, no munícipio;
Indicação para instalação de aparelhos telefônicos nos postos de saúde, para agilizar os atendimentos.

Algumas indicações a nível estadual e federal:

Pedido de Instalação da DEAM, NEAM, Ronda Maria da Penha
Pedido da instalação do HEMOBA
Pedido de implantação da Casa da Mulher brasileira
Pedido do Projeto Acolha Vida

Na esfera municipal desenvolvi várias ações como:
Campanha Vacina Solidária: que tinha como intuito arrecadar alimentos durante a pandemia.

Movimento ‘’Eu me importo com você’’: Tem como objetivo atender as famílias em situação de vulnerabilidade social através de ações como o ‘’Varal Solidário’’, o ‘’Absorvente solidário’’, o ‘’Natal Solidário’’, entre outros.

Instagram: @zeziliamartins
Facebook: Zezilia Martins

Instagram: @daianafaedo
Facebook: @daianabastospires

Fonte: assessoria de comunicação

Fonte: Grupo Santo Antonio

Fonte: Grupo Santo Antonio
Ministério da Saúde ignora Bolsonaro e defende vacinação de adolescentes ao STF
Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

O Ministério da Saúde ignorou as críticas de Jair Bolsonaro e incluiu a vacinação de adolescentes contra a Covid no plano nacional de imunização. O documento foi enviado nesta quinta-feira (14) ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela Advocaica-Geral da União. A informação foi divulgada pelo Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias.

 

“No grupo de adolescentes de 12 a 18 anos, existem determinadas condic?o?es de sau?de que os colocam em risco aumentado de complicac?o?es e o?bitos pela Covid-19“, escreveu a pasta na nova versão do documento.

 

Três dias antes Bolsonaro disse em São Paulo: “Por que muitos governadores e prefeitos vacinaram jovens entre 12 a 17 anos? Baseados em quê? Recomendação da Anvisa? Da Saúde? De quem?”.

 

O próprio Ministério da Saúde e a Anvisa autorizaram a vacinação de pessoas de 12 a 17 anos no Brasil. A autorização da agência aconteceu em junho para a vacina da Pfizer. A vacinação de adolescentes contra a Covid acontece amplamente nas principais economias do mundo. No Canadá e nos Estados Unidos, a imunização dessa faixa etária foi autorizada ainda em maio.

 

Em setembro, o ministério chegou a recomendar que os adolescentes não fossem imunizados. Após críticas, o órgão recuou apenas seis dias depois e voltou a liberar a vacinação em 22 de setembro. No dia seguinte, Jair Bolsonaro deixou claro em sua live que fora contrariado: “Por que esse interesse em vacinar a garotada?”.

Fonte: Bahia Notícias
Pinheiro é citado em delação como sócio oculto de empresa com contratos públicos
Foto: Tiago Melo / Bahia Notícias

A Pejota Construções e Terraplanagem firmou contratos de mais de R$ 282,74 milhões de reais com o governo da Bahia desde 2017. Apontada na delação da desembargadora Sandra Inês e de Vasco Rusciolelli como uma das envolvidas na compra de sentenças, a empresa teria o ex-secretário de Planejamento Walter Pinheiro (sem partido) como sócio oculto.

 

O fato se tornou público nesta quinta-feira (14), após a divulgação da homologação da delação da magistrada e do seu filho (veja aqui). A Pejota foi responsável por grandes obras estruturantes em todo o estado, como a ampliação do setor norte do sistema de abastecimento de água de Feira de Santana, de sistemas de esgotamento em várias cidades baianas e de contenção de encostas em diversos bairros de Salvador.

 

As informações apuradas pelo Bahia Notícias no Portal da Transparência demonstram que, especificamente, durante as gestões do petista como secretário de pastas do governo do estado, um montante de R$ 232,51 milhões foi desembolsado pelo Executivo estadual para a Pejota - cerca de 82% do total destinado desde 2017 no pagamento de serviços prestados pela firma.

 

Walter Pinheiro esteve enquanto titular de secretarias durante dois períodos: entre junho de 2016 e abril de 2018, na Secretaria de Educação (SEC), e entre fevereiro de 2019 e maio de 2021 ocupou a cadeira da Secretaria de Planejamento (Seplan). 

 

Segundo os delatores, o genro de Pinheiro, Marcelo Ayres, foi o operador da compra de uma decisão liminar favorável à empresa que teria o gestor público como um dos sócios não declarados. A desembargadora Sandra Inês teria deliberado de forma positiva mediante o pagamento de R$ 25 mil como propina. 

 

"Marcelo Ayres foi conversar com a Des. Sandra, sob orientação de Vasco, e emocionado informou que a empresa era de pessoa próxima sua", diz um trecho da delação.

 

A decisão liminar concedida por Sandra Inês e que privilegiava a Pejota, de acordo com os depoimentos que integram a delação, foi cassada após uma nova oferta, desta vez pela MAF Projetos e Obras. Na ocasião, os operadores da empresa, Julio Cavalcanti e Rui Barata, pagaram R$ 150 mil pela reconsideração.

 

QUADRO SOCIETÁRIO E OUTROS CONTRATOS
Oficialmente, dois nomes constam no quadro societário da "PJ Construções e Terraplanagem LTDA": Maria Margarete Araujo Oliveira e Pedro de Araujo. Ativa desde 1999, a empresa consta no banco de dados da Receira Federal como prestadora de serviços como obras de engenharia, locação de máquinas e equipamentos, coleta de resíduos não perigosos e fabricação de objetos pré-moldados.

 

Nos últimos anos a Pejota cumpriu contratos fechados com prefeituras da Região Metropolitana de Salvador (RMS), a exemplo da gestão municipal da capital baiana, de Camaçari e de Lauro de Freitas.

 

Em Salvador a Pejota realizou a requalificação da Praça do Terreiro de Jesus, no Pelourinho, a construção da nova Orla da Boca do Rio e intervenções viárias em vias no Jardim dos Namorados e no Iguatemi.

 

Outros contratos, estes formalizados com a prefeitura de Lauro de Freitas, também foram encontrados pelo Bahia Notícias. Foram nove no total. O maior deles, para a execução de obras de macrodrenagem e qualificação de ruas do município, em 2020, no valor de R$ 5.375.470,64.

 

Entre prefeituras da RMS, no entanto, contratos mais lucrativos foram fechados entre a construtora e a prefeitura de Camaçari. Em um deles, o mais expressivo, R$ 17.738.754,76 milhões foram investidos. O objeto do contrato foi a pavimentação e requalificação de vias por meio de um programa de mobilidade urbana, em 2016. 

 

No ano passado, uma cifra um pouco menor foi destinada para a requalificação de pavimento em vias da sede e dos distritos de Abrantes e Monte Gordo, em Camaçari. Cerca de R$ 13,3 milhões foram garantidos no contrato que ainda está em vigor. O prazo para finalização da obra é dezembro deste ano.

Fonte: Bahia Notícias
Wagner cita resistência para filiação de Bolsonaro ao PP e não crê em ruptura de aliança
Foto: Reprodução / Gov.ba

O crescente rumor na filiação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) (veja mais e mais) ao PP não deve impactar na aliança entre o senador Jaques Wagner (PT) e o vice-governador João Leão (PP). Além da resistência do PP baiano (relembre aqui), Wagner citou outros estados como empecilho do desembarque. 

 

"Se vier acontecer, a resistência aumenta, em Pernambuco, no Rio Grande do Sul, pois tem gente do Eduardo Leite, em Alagoas, sei que Lira [Arthur] não é simpático. Não é fácil um partido que tem inserção nacional, filiar uma figura controversa. É uma figura arestada com muitos lados, com a sociedade em geral, por tudo que ele representa. Não é simples", revelou ao Bahia Notícias. 

 

Apesar disso, com a possibilidade de filiação, o rompimento da aliança deve ser decidido no diretório nacional do PT. "São coisas que não estão ao meu alcance. São decisões da nacional, torço para que não sejam tomadas, pois cria dificuldade, mas, o meu sentimento é que o PP Bahia é um dos polos objetivos de resistência a essa filiação. Nós estamos dialogando com o PP e meu sentimento é que ele se torna resistência. Independente do que aconteça, não vejo nenhuma disposição de romper nossa aliança. Estou na torcida para que não aconteça", disse. 

 

Wagner também comentou que a vontade de Leão em disputar o governo é saudável. "É preciso não confundir, eu não posso, nem gostaria e nem quero aliados que não tenham vontade política própria. Se não tiver pretensão não é para estar na política. É normal que ele deseje ser candidato. Em dezembro e janeiro vamos sentar. O fato de se colocar não pretende rachar. Não acho que vai ter racha nenhum. Ele coloca a pretensão. Vamos discutir dentro do Conselho Político, vamos chegar a um denominador para montar a chapa. Não tem mal estar. Se eu quero porque alguém não pode querer. Aqui não funciona assim, todos podem ter vontades", acrescentou. 

 

Com a possibilidade de Bolsonaro se tornar um progressista e o veto do partido às alianças do PP com o PT em todo o país, o governador Rui Costa (PT) classificou como “uma tragédia”, caso a chegada ocorra (veja aqui).

Fonte: Bahia Notícias
'Calote' da Ingresso Rápido trava pauta do TCA e atrapalha retomada de eventos
Produtor de show de despedida do Skank segue sem receber | Foto: Maurícia Matta

O avanço da vacinação e a queda nas mortes por Covid-19 na Bahia, assim como os decretos do governador Rui Costa autorizando a realização de eventos com mais de mil pessoas no estado, animaram o setor de entretenimento. Alguns detalhes, no entanto, têm gerado dor de cabeça para os produtores culturais, que amargam mais de um ano e meio de trabalho comprometido.

 

Eles relatam a carência de espaços para a realização de eventos, já que restam poucos teatros disponíveis e alguns espaços estão em reforma ou sem condições de abrigar apresentações. “Na teoria nós podemos fazer eventos, mas na prática não. O maquinário do governo está todo travado, as praças do Pelourinho que muitas vezes ajudam a movimentar a economia do local estão sucateadas. Eles tiveram toda a pandemia para trabalhar e ficaram de braços cruzados, agora estão se movimentando para fazer licitação para reformar, mas não sabemos quando vão entregar”, criticou um trabalhador da cultura, que preferiu ficar em anonimato. 

 

Outro espaço que recebe eventos de porte comercial, o Teatro Sesc Casa do Comércio iniciou obras em meio à pandemia e só deve concluir a reforma no segundo semestre de 2022, inviabilizando espetáculos para este ano. Só dois teatros, o Módulo e o Jorge Amado, estariam em ordem para receber uma gama enorme de projetos represados durante a pandemia.

 

O Teatro Castro Alves (TCA), maior equipamento cultural da cidade, por sua vez, representa um problema ainda maior, que vem de antes da Covid-19 e perdura até os dias de hoje. Em 2020, quando a  Ingresso Rápido rompeu contrato com o teatro, produtores denunciaram a falta de pagamento dos valores referentes às entradas compradas para apresentações já realizadas no local, mas a direção do equipamento não se responsabilizou pelo caso. “Na verdade a Ingresso Rápido não nos deve nada. Quem nos deve é o Estado, através da Fundação Cultural do Estado e do Teatro Castro Alves. Nosso contrato é com o espaço, e não temos nenhuma relação com a ticketeira, que inclusive nem é mencionada no contrato de cessão de pauta. Entendemos que a ticketeira causou isso, mas o compromisso de resolução não é deles”, comentou Fred Soares, produtor baiano que trouxe a peça "Sísifo", encenada por Gregório Duvivier em março do ano passado no local.

 

O produtor afirmou ainda ter tentado manter diálogo com o próprio teatro e outras esferas da Cultura da Bahia, mas disse que não houve qualquer mobilização por parte do poder público para resolver o problema. “Um descaso total, uma vez que devido à pandemia que vivemos, o Estado pagar este repasse da bilheteria seria no mínimo uma forma de respeito à classe”, criticou o empresário, lembrando que na última reunião recente realizada com o TCA “eles apenas sinalizaram que estão movendo uma ação judicial contra a ticketeira e que ‘confiam na boa fé’ deles que irão pagar”. Segundo Fred Soares, apesar do encontro, a direção do teatro não apresentou “nenhuma perspectiva nem planejamento de pagar a bilheteria destes eventos”, enquanto sua empresa e as demais lesadas pela Ingresso Rápido tiveram “que dar conta de pagar a diversos fornecedores que nada tinham a ver com essa situação”.

 

Ele lembrou ainda que algo semelhante ocorreu no Palácio das Artes, de Belo Horizonte (MG), e o impasse foi resolvido pelo poder público. “O Governo de Minas Gerais estava com a mesma situação com a Ingresso Rápido, e o Estado comprometido com a relação com seus produtores, pagou a dívida e acionaram a ticketeira na Justiça. Era o que devia ser feito aqui”, assinalou Fred Soares.

 

O produtor cearense João Carlos Parente, responsável pelo show de despedida da banda Skank, que ocorreu em março de 2020, também é um dos empresários que lamentam o “calote” e cobra um posicionamento propositivo do teatro. “Não houve nenhuma resolução, nada. Na verdade, nós não entendemos o problema, porque o show foi realizado no dia 7 de março, antes da pandemia, os ingressos já tinham sido vendidos, ou seja, o que houve é que se apropriaram mesmo da nossa bilheteria. Nós precisamos pagar todos os fornecedores, todos os custos com artista, passagem aérea, som, iluminação, todas as despesas, e eu não tenho contrato [com a Ingresso Rápido], nosso contrato é com o TCA. Eles é que têm um contrato com a empresa que faz a gestão dos recursos do show. Então, eu não posso nem acionar a empresa, é uma coisa muito delicada”, disse o produtor, revelando que tentou dialogar e propor soluções paliativas junto ao teatro para amenizar o prejuízo, mas não teve resposta. “A gente fica tentando evitar qualquer tipo de litígio, pra ter uma relação boa, mas a gente está numa situação bem delicada mesmo. Nós estamos falando aí de mais de R$ 400 mil, bem no meio da pandemia”, pontuou, expondo a extensão das perdas.

 

João Carlos revelou que tentou entrar em acordo com o TCA, mas não obteve qualquer resposta positiva. “Já falamos em um acordo, mas nada, a gente não recebe nada. Chegamos a propor inclusive uma pauta pra poder ir diminuindo [o prejuízo]. Mas aí disseram que a pauta tinha, depois que não tinha. Falamos que queríamos fazer a gestão da venda, já que eles nem têm um gestor hoje, está entendendo? E a gente disse: ‘olha, a gente está trazendo uma solução pra resolver o problema de vocês, para minimizar o meu problema. E assim, qual o problema vocês têm? Qual o risco que o teatro vai ter com a nossa gestão?’. Mas disseram não”, narrou o produtor, explicando que se propôs a realizar um show de uma grande estrela da MPB e abater, da taxa normalmente cobrada pela pauta do teatro, o valor da dívida pela apresentação do Skank do ano passado.

 

 “A única coisa que falei foi que a gente quer fazer a gestão da venda. Porque eu vou entregar a outra terceirizada, para o cara infelizmente fugir com o dinheiro e a gente ficar sem resolver. Qual é a dificuldade que tem da gente fazer essa gestão? Quais são as seguranças que o TCA precisa? Eles podiam dizer ‘a gente não quer por causa disso’, mas qual é o motivo que impede uma produtora de fazer o espetáculo e fazer a gestão financeira? Então que o teatro diga ‘olha, tem que cumprir essas normas’, mas nem isso a gente conseguiu receber como resposta”, assinalou João Carlos. “Então, falta realmente boa vontade ou interesse, talvez, de resolver o problema”, acrescentou o empresário, revelando que chegou a enviar diversos ofícios para solicitar informações, mas não teve retorno e classifica o incidente envolvendo o “calote” na bilheteria como “um ato desonesto”. 

 

Acontece que o impasse com empresa que operava a venda de ingressos para o Teatro Castro Alves poderá afetar também quem ainda não se apresentou. É o caso de Moacyr Villas Boas, responsável pela produção de grandes shows, cuja bilheteria chegou a ser vendida, mas as apresentações marcadas para ocupar palcos do TCA foram comprometidas por conta da pandemia. “Para além do débito que o teatro tem com quem já fez seus eventos, existe o débito com as pessoas que compraram ingressos para shows que ainda não ocorreram. Nós não vamos poder devolver um dinheiro que sequer recebemos. O público precisa saber que o dinheiro deles não está nas mãos da produção e eles não podem contar com a Ingresso Rápido, pois a empresa está com problemas financeiros para honrar suas contas. O Estado precisa dizer objetivamente como pretende solucionar esse impasse”, declarou o produtor, que é também presidente da Associação Baiana das Produtoras de Evento (Abape). Ele lembrou ainda que sua empresa já teve que arcar com parte do pagamento de cachês, passagens aéreas e gastos com mídia, e agora convive com a incerteza sobre a possibilidade de realizar ou não os shows remarcados para 2022, por causa do dinheiro retido com a Ingresso Rápido.

 

“Os artistas já anunciaram seus shows em Salvador em janeiro, mas até agora eu não sei se vão pagar esse valor, porque, por exemplo, vai fazer o show para aquelas pessoas que compraram antes da pandemia, mas aí termina o show e cadê o dinheiro? O dinheiro não está aqui, está na Ingresso Rápido. E a gente já está divulgando o show, mas sem saber exatamente o que vai acontecer. O estado até agora não nos disse 'olhe, fique tranquilo que você vai fazer o show e a gente vai depositar o dinheiro das vendas'. Porque, honestamente, a gente não tem nada a ver com esse problema que eles tiveram com a Ingresso Rápido”, pontua Moacyr. “Estou me programando para cumprir minha obrigação de fazer os shows, porque de acordo com o decreto federal a gente tem até dezembro de 2022 pra honrar com os shows que foram prejudicados pela pandemia. Queremos realizar, a produção quer fazer o show pra pagar o que deve às pessoas que compraram, o artista também quer, mas o teatro e o estado não resolvem o problema”, acrescentou.

 

O impasse com a bilheteria do Teatro Castro Alves impacta até na marcação de novas pautas, já que ainda não foi definida uma nova empresa para operar a venda das entradas. Os produtores acompanharam o movimento do TCA para licitar uma nova empresa para o serviço, na última semana, mas nenhuma teve interesse de firmar o contrato. Diante deste cenário, ninguém sabe se o dinheiro retido com a Ingresso Rápido será pago pela empresa ou a dívida arcada pelo governo, tampouco se sabe se os shows ainda não realizados também sofrerão o “calote” e sequer vislumbram alguma solução por parte da direção do teatro.

 

Em nota enviada ao Bahia Notícias, o Teatro Castro Alves defendeu que, enquanto equipamento público, “reforça o seu compromisso com a cadeia produtiva da cultura e afirma que foram tomadas medidas jurídicas e administrativas cabíveis junto à Procuradoria Geral do Estado (PGE), Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult) e Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), relativas ao não repasse de verbas do período inicial da pandemia de Covid-19”.  


“A operação de vendas de ingressos do TCA se dá por meio de empresa bilheteira contratada através de licitação pública. Embora nenhuma empresa tenha apresentado proposta na primeira tentativa para a gestão da bilheteria, a tramitação do processo para a contratação segue em caráter de urgência”, diz o texto.  


O órgão ressalta ainda que, durante a pandemia, o TCA permaneceu ativo, “sempre respeitando os decretos de prevenção a disseminação da Covid-19, seja com uma programação virtual nas suas plataformas, ou recebendo gravações e lives de produções artísticas de gêneros variados em todos os seus palcos”. Por fim, destaca que o espaço está aberto para o público, com as visitas educativas do programa “TCA de Perto” e a Ocupação Mobiliário-Memória no Foyer.

Fonte: Bahia Notícias
  Curta nossa página
  PUBLICIDADE

| Todos os Direitos Reservados |