Notícias

O Vaticano divulgou nesta sexta-feira (8) a exortação apostólica 'A Alegria do Amor', na qual o papa Francisco pede mais compreensão com homossexuais e divorciados, mas sem romper com doutrinas da Igreja Católica. A carta de 256 páginas é resultado de dois anos de discussões entre Bispos sobre o amor a sobre família. Em defesa dos direitos dos gays, o texto diz que "qualquer pessoa, independentemente de sua orientação sexual, deve ser respeitada em sua dignidade e tratada com consideração".

No entanto, o pontífice fez ressalvas quanto ao reconhecimento da união para pessoas do mesmo sexo. "Temos de admitir a grande variedade de situações familiares que oferecem certa estabilidade, mas uniões 'de facto' ou do mesmo sexo não podem ser simplesmente equiparadas ao matrimônio.

Nenhuma união que é temporária ou fechada à transmissão da vida pode garantir o futuro da sociedade." O pontífice também reforçou que os divorciados que casam pela segunda vez não devem ser tratados como excomungados, e pediu "um adequado discernimento pessoal e pastoral". Por outro lado, ele afirma que "o divórcio é um mal". O documento ainda aponta que a igreja deve "reforçar o amor e ajudar a curar as feridas, para podermos impedir o avanço deste drama do nosso tempo".

Fonte:bh notcias
voltar   home   subir  imprimir
  Curta nossa página
  PUBLICIDADE

| Todos os Direitos Reservados |